Seja bem-vindo. Hoje é . Deus lhe abençoe!

Pr. Deuramar: O Verdadeiro Papel da Autoridade Política Perante Deus

Com o Pr. Deuramar Ribeiro leite - O best-seller de Deus, a Bíblia Sagrada, livro que é sucesso de vendas por ser o mais lido em todo o mundo, possui em seu bojo literário preciosos ensinos com o objetivo de moldar o comportamento humano em todos os âmbitos da vida. Podemos destacar, o bom relacionamento no convívio familiar, os deveres entre patrões e empregados e o convívio social em modo geral, conforme Colossenses capítulo 3.18 à 22 e capítulo 4. 1:

“Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas. Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo. Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus”. Cap 4.1 “VÓS, senhores, fazei o que for de justiça e equidade a vossos servos, sabendo que também tendes um Senhor nos céus”.


Voltando ao nosso objetivo temático, encontramos na Bíblia Sagrada outras preocupações por parte de Deus e suas exigências direcionadas aos que legitimamente exercem o poder de mando sobre o conjunto da sociedade por meio de autoridade constituída pelo próprio Deus, conforme Romanos 13.1:

“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas”.

Arquivo da Internet
Sendo assim, toda autoridade na terra foi constituída por Deus e portando todos prestarão ao próprio Deus, contas de seus atos praticados no exercício de seus ofícios conforme a autoridade recebida por Ele.

No livro de Ester Capítulo 10 e o versículo 3, encontramos o modelo estabelecido por Deus para às autoridades principalmente política no que se refere sua missão para com a sociedade. Diz assim o texto:

“Porque o judeu Mardoqueu foi o segundo depois do rei Assuero, e grande para com os judeus, e agradável para com a multidão de seus irmãos, procurando o bem do seu povo e trabalhando pela prosperidade de toda a sua nação”.

Mardoqueu foi o pai de criação da rainha Ester, muitos até assistiram filmes que relatam um pouco da história dessa rainha. Mardoqueu era judeu e foi constituído primeiro ministro pelo rei Assuero, rei da Pérsia. De acordo com o relato bíblico, Mardoqueu foi o segundo depois do rei.

O que mais nos chama a atenção na vida de Mardoqueu é que ele politicamente não somente foi grande para com o seu povo, estimado pelos seus contemporâneos, mas trabalhou exercendo seu ofício da maneira como Deus exigiu das autoridades por Ele constituídas. Mardoqueu trabalhou para o bem e prosperidade de sua nação.

É esse o dever de todo representante do povo. Trabalhar honestamente voltado primeiramente aos anseios da coletividade e não da individualidade. Deus nos deu o maior exemplo quando a Bíblia nos diz em João 3.16, que Ele amou ao mundo (todas as pessoas da terra), e não somente uma pessoa. E como prova desse amor, deu o seu filho Jesus Cristo para morrer também não só por uma pessoa, mas por todos, eu e você.

Percebo que muitas autoridades se enveredaram por outro caminho quanto ao paradigma estabelecido por Deus. Deixaram de atentar primeiramente para a coletividade e voltaram-se a individualidade. Buscando enriquecimentos ilícitos para a ostentação do poder e da fama. Gerando como resultado, as crises nas diversas áreas que atingem a vida de todo ser humano. Essas atitudes vividas por muitos que exercem tais e outras autoridades nesta geração, diante de Deus é conhecido como os que destroem a terra. E serão por Deus destruídos. Apocalipse 11:18:

“E iraram-se as nações, e veio a tua ira, e o tempo dos mortos, para que sejam julgados, e o tempo de dares o galardão aos profetas, teus servos, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra”. 

No dia do Juízo Final de Deus, Apocalipse 20. 12, todos comparecerão perante o Senhor Deus e serão julgados por Ele segundo as suas obras. Um por um. “E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras”. E o juízo será sem misericórdia, Tiago 2:13: “Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa do juízo”.

Mardoqueu governou tendo as pessoas sempre em mente; por isso foi querido e estimado pelo seu povo. Uma nação sempre amará o governante que trabalha em favor dela. Existe uma frase muita usada no campo militar: “A Nação que não honra seus soldados, não merece seus heróis”. Trocando em miúdos, poderíamos afirmar que o governante que não honra seus cidadãos não é digno de governar sobre eles.

A Bíblia cita exemplo de vários personagens bíblicos que governaram em prol de seu povo
Arquivo da Internet
e ambos, governante e a nação foram agraciados por Deus com prosperidade em todos as áreas da vida. José no Egito, Gênesis 41. 38-44. Como instrumento de Deus frente a sua simplicidade e humildade foi constituído por Faraó, governador do Egito. Ele foi levado ao país como escravo e saiu como grande governador. Sabe porquê? José livrou o Egito de uma grande fome. Sua atuação na direção de Deus, salvou até mesmo outras pessoas que não tinham nada a ver com o Egito.

Tem muitos governantes que quando deixam seus cargos, deixam também um povo faminto, não de saudade de seu governo, mas de escassez. Eles saqueiam os cofres públicos matando os sonhos da população. Transformando esperança em desespero. Deus não suporta isso. Ele houve o clamor do necessitado! Deus nos mandou amar ao próximo, Gálatas 5.14: “Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”.

Quando João Batista pregava no deserto, vários soldados, autoridades, perguntaram ao profeta o que eles deveriam fazer e João respondeu: Não maltrates ninguém; não recebam propina e contentai com vosso salário. Lucas 3.14 “E uns soldados o interrogaram também, dizendo: E nós que faremos? E ele lhes disse: A ninguém trateis mal nem defraudeis, e contentai-vos com o vosso soldo”. Você tem seguido essa determinação da Palavra de Deus? Era a boca de Deus falando por intermédio da boca de João Batista.

Lembrem-se, portanto, do exemplo de Mardoqueu. Ele governou com amor colocando os anseios de seu povo acima de seus próprios interesses. Nossa história é nós mesmos que fazemos ou destruímos. Aproveite bem a oportunidade que Deus tem lhe concedido na terra, e faças o melhor em prol das pessoas. Faças a tua Nação, o teu Estado e o seu Município feliz. Provérbios 29.2: "Quando o governo é formado de homens justos e honestos o povo vive feliz, mas quando os líderes de uma nação são maus e desonestos o povo chora de tristeza"

Quando partirmos desse mundo para a eternidade, nossas obras nos acompanharão. Elas serão reveladas por Deus no dia da eternidade.

Sendo uma autoridade aqui na terra, quais são suas obras? Elas te envergonharão no futuro? Pense bem sobre isso! Leia a Bíblia! Ela é o manual do administrador público. Jesus disse que erramos por não conhecer as Escrituras Sagradas, Mateus 22.29.

As boas obras glorificam a Deus! Um forte abraço! Meditem nesta palavra e que Deus lhe abençoe!
Pr. Deuramar Ribeiro Leite 

POSTAGENS POPULARES